Regularização de Poços
12 de maio de 2022
Meio Ambiente Urbano e os profissionais da área ambiental
23 de junho de 2022
Show all

4 curiosidades sobre abelhas

  1. Abelhas e a Polinização

As abelhas fazem parte do gênero de insetos polinizadores mais importantes para o equilíbrio da vida no planeta. Estima-se que 73% de todas as espécies vegetais dependam da polinização e, no Brasil, mais da metade das espécies de plantas necessitam desta ação executada especialmente por elas. Além das abelhas africanas (Apis mellifera scutellata) e europeias (Apis melífera) existem no país, cerca de 300 espécies de abelhas nativas, também conhecidas como abelhas sem-ferrão (subfamília Meliponinae), as quais são responsáveis pela polinização de 90% das espécies de plantas da Mata Atlântica. Na agricultura, as abelhas sem-ferrão são agentes importantes na polinização de inúmeras culturas, tais como café, tomate, abacate, manga, coco, morango, pepino e pimentão, contribuindo anualmente com bilhares de dólares na economia da região tropical.

  1. O Mel e a Economia

O mel produzido pelas abelhas, além de possuir sabor único e diferenciado, é conhecido por suas ações anti-inflamatória, antioxidante, antimicrobiana, antibactericida, antibiótica e fortalecedora do sistema imunológico. A quantidade diária de consumo do mel é de 25g, conforme recomenda a OMS (Organização Mundial da Saúde). No Brasil, a produção de mel por abelha, no caso das africanas e europeias, fica na média de 15 kg/ano, podendo chegar da 50 kg/ano dependendo do manejo e da região. Já as abelhas sem-ferrão produzem entre 1 kg a 10 kg de mel ao ano, dependendo da espécie e da região. Entretanto, no ponto de vista econômico, o valor do mel das abelhas nativas pode chegar a R$ 120,00 por kg, enquanto as do gênero Apis sp. podem chegar até R$ 25,00.

  1. Tempo de Vida

O tempo de vida das abelhas do gênero Apis sp. e das abelhas nativas sem-ferrão varia de acordo com determinados fatores, tais como sua função (rainhas e operárias) e acasalamento. Entre as africanas e europeias, as abelhas vivem em média 45 dias. Já as rainhas podem viver até dois anos de idade. Os machos, por sua vez, quando não acasalam com uma princesa (rainha não fecundada), podem viver até 80 dias, senão, morrem após a cópula. Entre as abelhas nativas sem-ferrão, o tempo de vida de um indivíduo adulto pode variar de acordo com o clima e o tipo de atividade que ele mais desenvolveu. Uma operária, por exemplo, vive em torno de 40 a 52 dias e os machos cerca de 10 a 15 dias. Já uma rainha pode viver de 1 a 2 anos.

  1. Ameaças

Entre as principais causas e consequências da extinção e morte das abelhas está a interferência do homem, onde práticas como queimadas, roçadas e a utilização excessiva de agrotóxicos diminuem ampla e consideravelmente a sobrevivência de todas as espécies. Além disso, a extinção das abelhas pode comprometer toda a existência de espécies da flora brasileira e, consequentemente, todo o equilíbrio natural, necessário para a sobrevivência humana, uma vez que elas são responsáveis pelo principal processo da produção de alimentos no planeta.

David Pistoia Neto | Biologo
David Pistoia Neto | Biologo
Analista ambiental | Biólogo formado pela Pucrs | MBA em auditoria perícia e gestão ambiental

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *