Sustentabilidade no meio rural, qual o melhor destino para os dejetos suínos?

Serviços: Compatibilização de projetos
24 de janeiro de 2022
Você já ouviu falar em BIM?
16 de fevereiro de 2022
Show all

Sustentabilidade no meio rural, qual o melhor destino para os dejetos suínos?

Você sabe qual é o melhor destino para os dejetos provenientes da suinocultura? 

Os dejetos líquidos são considerados o maior problema relacionado à atividade de suinocultura, e são constituídos basicamente de fezes, urina, restos de ração e água. Como a região sul é a que possui a maior produção suína, uma destinação ambientalmente correta é de extrema importância para que essa atividade não cause maiores impactos ambientais negativos.
Uma forma de destinação dos dejetos suínos é a fertilização de lavouras, podendo diminuir e até cessar o uso de fertilizantes minerais, sem comprometer a qualidade do solo e do meio ambiente, além de trazer economia para o produtor rural.
Para isso, é fundamental a elaboração de um plano técnico de manejo e adubação elaborado por um profissional habilitado, como um eng. agrônomo, considerando vários pontos como a composição química dos dejetos, a área que será realizada a aplicação, a fertilidade do solo e as exigências da cultura a ser implantada.
Além dos fatores técnicos relacionados à fertilidade do solo, fatores físicos em relação ao local de aplicação também devem ser considerados para que não ocorra nenhum risco de poluição.
Os mais importantes são: tipo de solo, distância de recursos hídricos, áreas de preservação permanente (APP’s), declividade do local, presença de estradas e construções como moradia.

 

 

Além disso, é necessário o monitoramento da aplicação dos dejetos em solo com visitas frequentes nas áreas que recebem o material. Este acompanhamento deve ser realizado por um profissional habilitado, que garantirá a correta execução do plano elaborado e a segurança ambiental da operação.

Aqui na New Engenharia contamos com uma equipe ambiental multidisciplinar. Criamos projetos, cuidamos do licenciamento e fazemos o monitoramento mensal com relatórios anuais entregues ao órgão competente, que neste caso é a FEPAM. 

Luana Redivo
Luana Redivo
Engenheira agrônoma | formada em agronomia pela UFRGS | Mestranda no PPG Zootecnia da UFRGS (em andamento)

1 Comment

  1. Ana Maria Kaufmann Schimuneck disse:

    Parabéns a toda equipe envolvida com esse trabalho!! Sucesso..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *